Lembranças de outros Carnavais

A essa altura, até o ano passado, estaria organizando ou me preparando para participar do Carnaval Revolução. Foram seis anos de um evento voltado para a convergência de grupos e pessoas de ideais anarquistas e libertários. A partir de atividades diversificadas, com palestras, debates, oficinas, videos, shows, foi possível conhecer e fortalecer laços assim como trocar idéias, informações e conhecimento. Espaço organizado de maneira horizontal, autonomo, autogestionário. Essas vivências, assim como outras que tive enquanto morei em BH, foram muito importante para a minha formação pessoal e política. Infelizmente,nem todxs souberam aproveitar da mesma maneira que eu do Carnaval Revolução. Isso ficou bem claro no debate com os organizadores no final da última edição em SP. E para essas pessoas, digo que perderam tempo, perderam 6 anos da vida delas, por não saberem usufruir do evento de maneira positiva e por não entenderem o espírito do faça vc mesmo.

Antes da existência do Carnaval Revolução na minha vida eheh, apesar de nunca ter gostado de pular carnaval, lembro-me quando criança minha mãe me fantasiar de bailarina e me levar para clubes. No início da adolescência também cheguei a me fantasiar de havaiana e outras fantasias que já não me lembro bem. Mas o que realmente me marcou e ainda faço questão de ver são os blocos de rua. Aqui no meu bairro tem o Bloco do Papel Velho e o Bloco do Saco Roxo. Sempre animados, fantasias de materias reciclados, o velho barril de cachaça e muita gente animada seguindo o humilde trio elétrico. O bairro pára para ver o bloco passar.

Hoje passou o Bloco do Saco Roxo e me veio essas lembranças de outros carnavais. O resgate de algumas tradições são legais, valorizo os blocos e carnavais de rua.